quinta-feira, 25 de setembro de 2008

PACIÊNCIA


Quem já andou de bugue nas dunas em Natal sabe que o condutor pergunta sempre aos passageiros, antes de começar o passeio: “Com emoção ou sem emoção?” Eu, que adoro velocidade e aventura peço: “com emoção” – e ainda assim passo um sufoco danado nas ladeiras e curvas mais acentuadas. Olha que adoro essas coisas de adrenalina e velocidade.

Mas isso não tem nada a ver com o que pretendo dizer agora. Só me lembrei da pergunta, porque outro dia me ocorreu uma muito parecida, diante de situação bem menos ameaçadora (mas potencialmente perigosa): “Com paciência ou sem paciência?” Diante de tudo na vida, a gente pode escolher com ou sem paciência. O problema é que, aparentemente, não temos escolha. A impaciência explode como se não tivéssemos qualquer poder para detê-la. Mas a menos que acreditemos que ela é uma entidade com vida própria, precisamos reconhecer que a impaciência depende de uma decisão (ou omissão).

A paciência tem mil e uma características e utilidades, como a famosa palha de aço. Precisamos ser pacientes com as coisas que não são como gostaríamos, e que estão – elas sim – completamente fora do nosso controle. O trânsito é o exemplo clássico dos nossos tempos. Adianta surtar com os mil carros à nossa frente? Mas, se sabemos que eles vão nos tirar do sério, temos uma escolha – o famoso “sair mais cedo” ( Mas me pergunto se nos dias de hoje o “sair mais cedo” funcionaria diante do trânsito dessa cidade!)

Temos que ter paciência com o que é “naturalmente” demorado – a água que não ferve, o programa de computador que não abre, o elevador que não chega. Em vez de simplesmente esperar, temos o hábito (é, hábito) de ficar impacientes, tamborilar na mesa, bater o pé, praguejar, respirar mais forte. Como se ficar com raiva fizesse bem e aliviasse a espera, ou fosse um direito adquirido; como se fosse meio idiota ficar calmo quando estamos com pressa.

Eu já reparei que, quando estou atrasada, não ficar nervosa parece até falta de educação. O “certo” é se estressar. Até parece que resolve muito. O mais provável é travar o *&%$ ˜ do computador e perder mais tempo ainda.
Mas não é só nessas horas de crise aguda que paciência ajuda.
Existem problemas crônicos que fazem muito menos mal à saúde quando são acompanhados por ela. Por exemplo: ter que pedir mil vezes a mesma coisa para o namorado, amigos, funcionários. Em vez de perder a cabeça, é muito mais produtivo simplesmente repetir o pedido tantas vezes quanto for necessário, com a mesma paciência da primeira vez. Claro, chega uma hora em que é preciso ser mais duro, mais exigente, mas nem quando se atinge esse ponto é preciso surtar.

A paciência , é uma atitude humanista. Ser paciente é entender e aceitar a si mesmo e aos outros, e uma virtude necessária para a vida equilibrada, serena. A definição é poética, envolvente, mas penso em como ser assim nos dias atuais. Questiono como é possível alcançar esse estado de espírito e comportamento, dentro dos padrões que exigem muito e oferecem tão pouco para o bem-estar individual. Dá para ser paciente com a pressão no trabalho? Quando vc está em uma faixa no trânsito parado, é só vc mudar de faixa que a faixa anda? Quando a gente acha algo no último lugar que procurou?( Isso quer dizer sempre!) Se o telefone só toca quandovocê acabou de se molhar inteiro no banho?Se a probabilidade de seu pão cair com o lado da manteiga virado para baixo é proporcional ao valor do carpete em que está debaixo? Com as filas intermináveis? ( Porque neste país agora existem filas para quase tudo!) Se você acabou de levar um fora? Se você se perdeu pela 20ª vez indo pra balada? Se Acabou o chocolate e o nervoso não? Ou seja , vivemos dentro da Lei de Murphy.

Falar é fácil, não? Mas convencer-se da utilidade da paciência é meio caminho andado. Porque está cheio de gente por aí defendendo o valor do chilique ou do descontrole. Eu às vezes tenho um ataque, mas não acho nada bonito e não recomendo para ninguém. Estou bem longe de ser uma Dalai Lama, mas sei que é esse o meu modelo de sucesso – não a louca estressada que às vezes “toma conta”de mim.

Enfim...a solução é abstrair!

Abs. tra. ir
1. Considerar separadamente (elementos de um todo);
2. Separar, afastar;
3. Distrair-se, alhear-se;
4. Não levar em consideração.

Passar raiva pra que? ABSTRAI...





13 comentários:

Vivian disse...

..."Abstrair-se"...lindíssima receita de viver bem e sem stress...parabéns, linda!

um exemplo simples...
congestionamento com filas kilométricas, a melhor opção
é uma boa música e seus acordes.

anderson eduardo disse...

eu me considero um ser provido de paciência....e adoro emoções... seu post esta lndo, com muitas emoções.. abração e um final de semana muito divertido pra voce

Tarci disse...

Belo post!
Lembrou-me da musica de Lenina- Paciencia.

"Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede um pouco mais de alma
A vida não para

Enquanto o tempo acelera e pede pressa
Eu me recuso faço hora vou na valsa
A vida é tão rara"


Beijos!

Diego! disse...

O negocio e rodar a baiana e quebrar tudo.
E se alguém reclamar... Cai de porrada!
Não sei o pq. Mas, ando tão impaciente!


Sério a parte do abstrair...comece pelo meu comentário!

bjs

tossan disse...

Sol sem strees não é uma das altenativas narradas, mas é a mais ideal, o problema é o tempo, nos dois sentidos da palavra. Noto também ke vc sabe escrever muito. Flui... Bj

Quase Trinta disse...

Esse tem sido meu lema cosntante ABSTRAIR.. mas as vezes tem coisas q não dá

David disse...

Sim haja paciencia no mundo que corre, quase parece impossivel, mas ha pessoas que nem tentam...

Claro que pode, tb vou linkar o seu...

Beijo grd

João da Silva disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Marcos Campos disse...

Oi!!
Vou ver o filme sim!!
Obrigado!!
Ótimo fim de semana pra vc!!
Bj

Lorena Natália disse...

"ABSTRAIR"ultimamente...esse tem sido o verbo que define o meu dia...
nossa...antes eu sofria mto com a impaciência...ainda mais pq...eu sempre estava atrasada pra tudo...
acho mt engraçado pq...qd não estamos atrasados e o trânsito está intenso...nem nos irritamos,mas qd estamos atrasados...até se tiver um carro na rua...já nos irritamos...temos que deixar de culpar o universo...pelas nossas falhas...parece mais fácil...mas traz mto mais problemas neh...
adorei o textoo...ótimo temaa!!
^^

Sonhadora... disse...

oi,

é uma alternativa para nos livrarmos do stress...

bjos e um domingo lindinho prá ti!

Francine Esqueda disse...

Olá lindona...
Paciencia é a alma do negócio. Aos poucos estou aprendendo a ser cada vez mais paciente... Já estava ficando com saudades daqui! A correria não deixa que eu seja uma blogueira tão fiel!
Valeu pela visita e pelo simpático comentário! Tenha um bom dia e uma super semana!!

tossan disse...

Oi Tata, equeci de dizer onde está o selo Blog Star. Está no título Reconhecimento do meu blog. bj