quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

ME DESCULPEM....




Me desculpem mas, esta semana estou sem inspiração para postar qualquer coisa, pois em menos de 15 dias perdi duas criaturas que eu amava demais.

Infelizmente à 15 dias atrás minha cachorra Salif ( Afghan Hound) me deixou vítima de um câncer avassalador.Sem chance de prolongar sua vida, com metástase.Foi muito sofrido para mim e ainda é.

Só que ontem, essa doença levou embora mais uma cachorrinha minha,Sharon( York Shire), tão pequena, tão delicada, vítima também de câncer. Igualmente metástase.

Espero que vocês me compreendam, pois estou muito abatida, com duas perdas tão em seguida, estou com um vácuo dentro do peito, um buraco sem tamanho, sentindo a ausência das minhas meninas.Deixo aqui essa homenagem à elas, meu anjinhos de 4 patas.

Nunca ouvi frase tão certa "Carinho Incondicional"! Só quem compartilha desse carinho pode avaliar o valor desses focinhos.


Focinhos,

Ah, se as pessoas soubessem o que há por trás de um focinho,focinho úmido, geladinho,preto, marrom, desbotadinho;Ah, se as pessoas soubessem o valor de um focinho, focinho medroso ou metido,focinho manhoso, carinhoso,simples amigos focinhos;Ah, se as pessoas tivessem ao menos um focinho, não sobre o próprio rosto, mas em carne, pelo e osso,fonte pura de carinho;
Ah, se as pessoas protegessem os focinhos, focinhos que vivem sozinhos,Amores desperdiçados, focinhos amargurados, focinhos pra todo lado;Ah, se as pessoas conhecessem os focinhos, quanto amor, quanto carinho,Anjos peludos, sem narizinhos; anjos fofos atrás de focinhos;Ah, se eu pudesse ver todos os focinhos, amados e acolhidos,Crianças da criação, anjos de bem querer, focinhos em plena evolução;Ah, se as pessoas soubessem, quanto amor e dedicação, quanta vida, quanta paixão, quanto vale o amor de um cão.

"Os cães são o nosso elo com o paraíso. Eles não conhecem a maldade, a inveja ou o descontentamento. Sentar-se com um cão ao pé de uma colina numa linda tarde, é voltar ao Éden, onde ficar sem fazer nada não era tédio, era paz." (Milan Kundera).

13 comentários:

ex-controlador de tráfego aéreo disse...

Olá Tata!

Sei o que é ter um cão em situação difícil, esperamos aqui em casa que a qualquer momento que o Petit também nos deixe.

Já perdemos cães aos quais nos dedicávamos dando carinho e a dor é grande mesmo, abateu toda a família. Bem, espero que você não fique tão triste e se apegue aos bons momentos que certamente vivenciaram. As bricadeiras e todo o carinho mútuo deve ser suporte para ajudar na superação.

Fique em paz!

Um beijo com carinho!!!

joyce domingos disse...

hello ....

estava passando por aqui e não posso deixar de comentar...

muito lindo o seu blog...aconchegante!!!

passarei por aqui mais vezes....

João da Silva disse...

Ah, minha linda... que dor! Já tive vários cachorros, e no Rio ainda tenho: quando vou lá, são meus maiores companheiros. Entendo bem a sua tristeza. Fiz o enterro de cada um que faleceu, chorei, entrei em luto. Dor enorme, dor quase insuperável.
Beijos carinhosos do João

Carol disse...

Ai Tata, sinto tanto...
Sei como é dolorido, já perdi um cachorrinho que eu amava muito e sofri bastante! Imagino como vc deve estar sofrendo por perder logo 2, em intervalo tão pequeno de tempo...
=(

Beijinhos...

Lucí disse...

Olá amada..

Nossa.. entendo muito bem o que está a passar, sé quem passa sabe o que é essa dor, que muitos não entendem, mas é semelhante se não igual a se perder um ente querido.

Quando eu tinha 11 anos, perdi meu melhor amigo, era um cachorro vira lata, que ganhei quando nasci de meu pai, então ele tinha 11 anos como eu, já estava velhinho.. ele fugiu de casa nunca mais o vi, e por noites eu "parecia" ouvi-lo latir, sonhava com ele, anunciei na rádio e nada, nunca mais, somente com o passar dos anos a dor diminui..

Hoje eu tenho gato, um o Cascão e por vezes me coloco a olha-lo e pensar como seria tudo sem ele hoje.. meu fiel companheiro. E a dor vem me acompanhar...

Tudo vai passar com o tempo, outros animais viram.. esses serão insubstituives, mas existem milhares cheios de amor pra da..pra aquecer seus focinhos...

Bjos, se cuida..

Francine Esqueda disse...

Ah.... querida... sinto muito!
Nem sei o que dizer... Que dor, amiga!!! Desejo conforto e que o tempo passe...
Muito obrigada pela simpática visita! Minha viagem a sp foi ótima! Ando meio sumida por conta do trabalho, encomendas e planos de fim de ano! Prometo me dedicar mais nas ferias!
Saudades daqui!
Beijos

Marcos Campos disse...

Olá Tata!
Meu, nem sei o que dizer, entendo perfeitamente o que vc deve estar sentindo...também compartilho do carinho dos caninos e sei como nos apegamos incondicionalmente a eles tbém...como ficamos dependentes do carinho deles, e como fazemos sempre crescer nosso amor por eles com a convivencia...
Fique bem...
beijo!!

Izinha disse...

É um amor enorme q se sente pelos bichinhos.

bjos!

tossan disse...

Eu tenho muita pena das pessoas que nunca conviveram com um cachorro pelo menos uma vez. Elas não sabem o que perderam. Tata vc é muito gente! Bj

D.Ramírez disse...

Evito ter cachorro por causa disso..tenho uma vira aqui no estudio...como dizem os argentinos, Ojalá como será o dia...
Besos

Ígor Andrade disse...

Não sei como seria seguir sem meus três cachorros. Sei que seria seguir sem graça. Adoro meus animais, que são "amor" no sentido mais puro da minha vida. Não sentiria tanto se um humano me deixasse. Espero que você fique bem, demora, mas encontrará paz. Pessoas que amam os animais se tornam humanos melhores.
Abração!

Francine Esqueda disse...

Agora assim, voltei para ficar! Estava morrendo de saudades daqui! Com o trabalho diminuindo terei tempo pra vir te bisbilhotar e postar minhas terapias, filmes, as novidades de São Paulo e outras coisas! Espero que esteja melhor e que produza muito daqui para frente! Conte comigo!!
Beijos e boa semana!
Francine

R.Vinicius disse...

Tatá perdas dificeis. Não gosto de pensar que o tempo apaga ou faz passar algumas coisas. A saudade é uma. Não deveria passar nunca. Acho que não passa, apenas adormece. Eu tenho uma cachorra, realmente é um "anjo de quatro patas." O trecho do Kundera foi perfeito.

Abraço,

R.Vinicius